Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
hamburger overlay

Estudo indica que o adoçante deve ser evitado de ser consumido, quando aquecido! Leia mais aqui!

Sucralose – o que devemos saber O sobrepeso e a obesidade deixaram de impactar as pessoas apenas pelo aspecto visual, pois o que está em jogo não diz respeito somente à vaidade, mas se tornou um sério problema de saúde pública. A obesidade é uma doença crônica, resultante do acúmulo de gordura no organismo, geralmente causada por um consumo excessivo de calorias na alimentação, superior ao valor usado pelo mesmo para a sua manutenção e realização de atividades do cotidiano, ou seja, essa doença acontece quando a ingestão alimentar é maior que o gasto energético correspondente. Também pode...

SAIBA MAIS

Refine sua busca

A entrada de refrigerante com adoçante stevia no mercado brasileiro é benéfica ao organismo?

Refrigerante com associação de açúcar e adoçante é saudável? Em busca de consumidores que criticam a quantidade de açúcar e adoçantes em suas bebidas, a Coca-Cola lançou uma nova versão adoçada com açúcar refinado e o adoçante stevia: a Coca-Cola Life. Esta já está sendo comercializada na Argentina e no Chile. Este lançamento faz parte de uma parceria entre a empresa e o governo britânico com o objetivo de reduzir os índices de obesidade da população. Depois da chegada ao mercado da Coca-Cola Zero, em 2006, a nova bebida se posiciona, de fato, como uma resposta da empresa às diversas críticas contra seu uso ostensivo de açúcar e produtos químicos em seus refrigerantes. Em uma estratégia de marketing, associa o verde da embalagem ao atributo “natural” do edulcorante, como se isso o tornasse necessariamente saudável. No entanto, encontra-se muito distante disso, apesar de a bebida ter 50% menos de açúcar do que o refrigerante tradicional. No Brasil, o decreto (6871/2009) sobre a padronização, a classificação, o registro, a inspeção e a fiscalização da produção e do comércio de bebidas proibia a associação de açúcares com adoçantes na fabricação de bebidas não alcoólicas, com exceção de preparados sólidos para sucos, como as polpas (refresco em pó). Porém, em dezembro do ano passado, a regra foi alterada por meio de outro decreto de número 8592, o qual passou a permitir tais misturas. Com isso, a flexibilização das regras do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) permitiu em abril de 2016 a entrada da Coca-Cola “verde” no Brasil. No site http://www.idec.org.br/em-acao/em-foco/refrigerante-com-menos-acucar-e-saudavel, a nutricionista e pesquisadora do Idec, Ana Paula Bortoletto critica o afrouxamento das regras do (MAPA), alegando que “isso ocorreu devido à pressão das grandes indústrias de alimentos e representa um retrocesso para o consumidor”. Ainda a nutricionista declara: “Esta mudança permite o surgimento de novos produtos no mercado com práticas de marketing enganosas aos consumidores. Apesar de serem vendidas como “saudáveis”, elas continuam sendo bebidas açucaradas que contribuem para o aumento de doenças crônicas como obesidade e diabetes, cuja incidência vem aumentando muito no Brasil”. “Além disso, esses novos produtos podem levar ao aumento do consumo de adoçantes no país, que também apresentam riscos à saúde se consumidos em excesso”, alerta Ana Paula. Em relação aos produtos lácteos e sucos de “caixinhas”, a maioria é riquíssimo de açúcares e sódio, o que também é prejudicial ao organismo. O ideal é consumir a fruta in natura, rica em fibras, vitaminas, minerais que, principalmente para as pessoas com diabetes, colabora para o controle glicêmico. Nunca devemos nos esquecer de que o nosso organismo necessita de água, a bebida mais rica e saudável do Planeta!

SAIBA MAIS